Preciso ter CNPJ para vender no iFood? Entenda a importância de uma Contabilidade

Sem sombra de dúvidas é seguro afirmar que o iFood é um dos aplicativos mais conhecidos pela população brasileira. Isso porque ele mistura características que todos nós amamos: praticidade em poder pedir algo sem sair de casa – pela tela do celular – e delivery de comida!

 

Essas qualidades são bastante atrativas para o público, visto que, de acordo com números da própria plataforma, são feitos mais de 60 milhões de pedidos por mês. Esses dados colocam a empresa como líder no segmento de entregas pela internet em toda a América Latina.

 

Tais estatísticas também atraem os donos de restaurantes, que vêem o aplicativo como uma forma de alcançar novos clientes e vender mais. Isso pode explicar o número de estabelecimentos parceiros do iFood, que ultrapassa 300 mil CNPJs diferentes em 2022.

 

Talvez esses dados também tenham te agradado e te levado a crer que essa é uma ótima oportunidade de você alavancar seu negócio. No entanto, a plataforma possui diversas regras para manter o padrão, e é justamente isso que abordaremos neste texto.

 

Então, continue a leitura deste artigo e saiba se é preciso ter CNPJ para vender no iFood, e como uma contabilidade é importante neste cenário. Então, vamos lá?!

Como o iFood funciona?

Por mais que o iFood seja popularmente conhecido pela entrega de comida, é nítido uma expansão para alcançar outros mercados. Atualmente, junto ao SiteMercado, a plataforma atende segmentos como os de pet shops e farmácias, por exemplo.

 

Para o setor alimentício, que é o maior foco da empresa, há diversas regras e burocracias que o restaurante ou lanchonete precisam seguir. Uma delas é o fato de que é preciso ter CNPJ para vender no iFood.

 

Sim, essa é uma resposta objetiva à pergunta do título deste artigo. No entanto, há mais requisitos estabelecidos pelo app. Veja quais são:

  • É preciso ter CNPJ; 
  • É necessário que o CNAE seja do ramo alimentício, ou seja, com prefixo 56;
  • Ter conta bancária vinculada ao CNPJ, ou abertura de uma Conta Digital iFood.

Passos para fazer o cadastro no iFood

Caso seu empreendimento siga os requisitos listados acima, é necessário cumprir os seguintes passos para se cadastrar na plataforma:

 

  1. Informar os dados de contato: nome, e-mail e celular;
  2. Preencher a documentação (CNPJ);
  3. Escolher um dos planos oferecidos;
  4. Definir sua conta bancária;
  5. Assinar o contrato.

 

Leia também: Plano de negócios para restaurantes e bares: entenda como fazer

Qual a importância de uma contabilidade para quem quer vender no iFood?

Agora que você viu que é obrigatório ter um CNPJ para vender no iFood, saiba que também é fundamental ter o apoio de uma contabilidade. Os serviços oferecidos são essenciais para que seu estabelecimento consiga cumprir com a série de obrigações exigidas pela lei.

 

Afinal, não basta apenas cumprir o que a plataforma solicita. A partir do momento em que você passa a se portar como uma pessoa jurídica, é necessário ter bastante atenção quanto a atributos fiscais e tributários.

 

Sendo assim, uma contabilidade estará ao seu lado em todas as etapas de um negócio. Nos tópicos seguintes você verá como um serviço contábil dessa especialidade atua para que o seu restaurante esteja totalmente legalizado:

Como ter um CNPJ?

O iFood permite que o parceiro seja um Microempreendedor Individual (MEI). Essa possibilidade é amplamente benéfica por ser menos burocrática em todas as etapas, desde a abertura da empresa até o recolhimento tributário.

 

As principais etapas para se formalizar como MEI são feitas pela internet. Ainda vale lembrar que o recolhimento tributário é feito por meio de uma guia do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), e é cobrada apenas uma taxa mensal no valor de R$ 61,60.

 

No entanto, esses benefícios são concedidos apenas a empresas com faturamento inferior a R$ 81 mil por ano, e permite apenas a contratação de um funcionário recebendo até um salário mínimo ou o teto da categoria, caso houver.

 

Caso você não se enquadre em um desses requisitos, é necessário optar por outros portes e naturezas jurídicas.

 

Essa readequação fará com que você enfrente mais burocracias ao legalizar sua empresa, principalmente na fase inicial, por isso, é de suma importância já contar com o apoio de uma contabilidade.

 

Tendo definido um novo tipo societário e criado um CNPJ diferente, você ainda pode contar com o benefício do DAS, que unifica o pagamento de todos os impostos, e ainda faturar até R$ 4,8 milhões por ano.

 

Isso é possível graças ao regime tributário Simples Nacional, que é menos rigoroso e mais fácil de gerir em relação ao Lucro Presumido e Lucro Real. Esse modelo de tributação é restrito apenas a empresas cuja receita bruta não ultrapasse a faixa citada, se mantendo dentro da definição de microempresa ou empresa de pequeno porte.

Elaboração de um planejamento tributário

As escolhas anteriores fazem parte do planejamento tributário elaborado por uma contabilidade. Esse mecanismo de elisão fiscal busca reduzir legalmente os impostos que recaem sobre seu restaurante ou lanchonete.

 

Uma das principais atividades dentro desse plano é a escolha pelo melhor regime tributário, dentre os que citamos acima.

 

Além dessa escolha, o planejamento tributário ajuda a organizar o calendário de impostos do seu restaurante ou produtora de alimentos. Por fim, também é possível reduzir a carga tributária buscando incentivos fiscais.

Conte com o apoio da BAK

A contabilidade atua em seu negócio nessa parte de legalização, já que é necessário possuir um CNPJ para vender no iFood, e também nas etapas de desenvolvimento do seu estabelecimento.

 

Na fase de crescimento, enquanto você foca em conquistar mais clientes e no processo operacional do seu restaurante, o suporte contábil será prestativo para resolver questões burocráticas.

 

Assim, é necessário ter o apoio de uma contabilidade de excelência como a BAK, que é especializada em atender empresas do setor alimentício, e que oferece as seguintes soluções ao seu negócio:

 

  • Suporte no processo de regularização da empresa;
  • Elaboração do planejamento tributário;
  • Escrituração contábil;
  • Controle do fluxo de caixa;
  • Análise de riscos e oportunidades de mercado;
  • Planejamento estruturado do crescimento da empresa;
  • Gestão de estoque;
  • Controle de custos.

 

Para ter acesso a esses serviços, entre em contato conosco e agende uma conversa! Se você deseja ter acesso a mais conteúdos como este, conheça o nosso blog e não deixe de seguir as nossas redes sociais!

 

Aproveite e leia também: Contabilidade para restaurante delivery: tudo que você precisa saber.

Compartilhe: